segunda-feira, 30 de Maio de 2011

New Energy Fund: Desvalorizado e Descapitalizado

Da apreciação do Comité de investimentos da NIF foi detectado, entre outras coisas, que “em 2009, as contas apresentadas não reflectiam sequer os saldos que o NEF tinha desembolsado a título do financiamento do projecto”, bem como, outras irregularidades.
Este fundo “NEF” tem participação de diversas instituições financeiras e estão neste momento completamente desvalorizados e descapitalizados em relação ao investimento inicial nele feito.

domingo, 29 de Maio de 2011

Passos Coelho: Gestão desastrosa do New Energy Fund

Passos Coelho gaba-se da sua experiência como administrador, mas esta é um desastre. Senão vejamos, o Grupo Fomentinvest de que Passos Coelho era administrador executivo geria, por exemplo, o “New Energy Fund” que integra vários projectos empresariais (com resultados desastrosos desde a sua constituição com uma desvalorização acumulada de 17% em apenas 15 meses e diversas empresas do Grupo sobre suspeita).
É esta a sua experiência!

sexta-feira, 27 de Maio de 2011

Limpar o buraco financeiro do Fundo na Caixa Geral de Depósitos

Existe, também, a intenção de caso o PSD ganhe as eleições integrar este fundo do Grupo Fomentinvest na CGD de forma a diluir o enorme buraco financeiro acumulado e assim compensar os diversos accionistas que passam por diversas instituições financeiras.
PPC que trouxe à campanha a sua capacidade de gestão empresarial como economista podia explicar o que tem a dizer à apreciação demolidora na sua gestão na Albaidas e se pode garantir que caso ganhe as eleições o fundo das energias e também o fundo do carbono (outro altamente desvalorizado) da Fomentinvest do seu amigo Ângelo Correia não será adquirido pela CGD.

quinta-feira, 26 de Maio de 2011

Denúncia de Gestão Danosa em projecto gerido por Passos Coelho

Um dos projectos a Albaidas de que Pedro Passos Coelho era administrador executivo, na sequência de uma denúncia sobre gestão danosa durante os anos de 2008 e 2009 em que referem ter havido um desvio de cerca de 1 milhão de euros, foi objecto de uma deliberação da Comissão Executiva do Banif para que se procedesse a uma investigação exaustiva desses graves factos culminando com a realização de um memorando da Cuatrecasas.